FÉ RACIOCINADA !

Fé Raciocinada !!! Não tenhamos uma Fé Cega, não podemos acreditar em tudo que nos dizem. Por isso a recomendação "Amai-vos e Instruí-vos". Só conseguiremos ter uma Raciocinada através do estudo. Estude e saberá quando está sendo enganado, seja pelo ser humano ou por um "(espírito)".

domingo

Conhece-te a Ti Mesmo

Achamos que não temos consciência de nossas inferioridades espirituais, mas na verdade temos consciência sim, basta que prestemos atenção em nós mesmos.
     Quando Kardec perguntou a espiritualidade qual o meio prático para que pudéssemos superar a tentação do mal, os espíritos responderam que desde a antiguidade um sábio já nos tinha dito que era importante conhecer a nós mesmos.
     Conhece-te a ti mesmo, esta é a chave da felicidade.
     Se nós pararmos e prestarmos atenção como nós reagimos diante das coisas que não gostamos, diante de pessoas que nos sejam antipáticas e diante daqueles que nos são simpáticos, normalmente achamos que aquela pessoa que nos é simpática deve nos suportar, e aí nos debruçamos em cima dela, abafamos e a comprimimos, fazemos muitas vezes, muitas exigências.
     Como gostamos da pessoa achamos que esta é obrigada a nos tolerar e suportar. É nesse ponto que começamos a ver que tipo de personalidade tem, que tipo de indivíduos nós somos, é a partir do esforço pelo autoconhecimento que nos conscientizamos.
     As Leis de Deus estão gravadas na nossa consciência, se buscarmos essa consciência vai encontrar. O grande problema é ter a paciência de se olhar, é querer se conhecer, porque a sociedade nos ensina, a prestar atenção não em nossa vida, mas na vida dos outros. Sabemos tudo sobre os outros, mas não sabemos nada sobre nós mesmos. Estamos especializados em olhar os outros, sabemos suas falhas, seus erros, mas quando alguém fala dos nossos defeitos, nos aborrecemos profundamente, porque é bom falar, criticar e apontar o erro dos outros, mas quando alguém diz “Você também é assim”, ficamos num estado deplorável, por que não gostamos de ser descobertos.
     Além da auto-observação, autoconsciência, para aquisição de virtudes é muito importante fazer o bem em qualquer dimensão.  Em todas as coisas que façamos, é importante buscar o bem.
     Por que uma pessoa pratica esportes?
Com certeza não é para brigar com os companheiros, não é para sir matando, ferindo e batendo quando o seu lado perdeu.
É preciso ver o lado do bem nisso, a alegria, a esportividade, a confraternização, a competição saudável.
     Quando vamos nos alimentar por que comemos?
Não pode ser para nos empanturrarmos, para esvaziar a panela e sim para nutrir nosso corpo. Por isso temos que aprender a comer somente o que é preciso e assim mantermos a saúde e um corpo saudável.
Na hora das brincadeiras devemos ter limites e saber que estamos brincando, e não mexer com o temperamento do outro colega, criando um problema, magoando, não é preciso numa brincadeira mexer com o defeito físico da pessoa, ou numa coisa que sabemos que machuca e incomoda aquele ser.
     Em todas as coisas que fizermos em nossa vida social, privada, profissional ou familiar, devemos estar voltados apenas para o bem, e isso será uma virtude.
     Viver com virtude é uma experiência que nossa humanidade ainda tem muita dificuldade. Todas as coisas que façamos devem ser voltadas para o bem, com múltiplas faces. Se estou estudando é para eu me superar e não para superar o colega, para ser melhor que ele, é para ser maior e melhor que eu mesmo.
     O bem sempre indicará a virtude. Quando Kardec pergunta qual a grande virtude, a mais meritória que a criatura pode ter, eles respondem que nós teremos chegado ao ponto mais alto da virtude quando houver o desinteresse pessoal. Quando fizermos algo, que não seja para nós lucrarmos. Na sociedade, infelizmente aprendemos a tirar vantagens de tudo e de todos. Sempre que se pode explorar uma pessoa ou uma situação em proveito próprio, o indivíduo faz e então aí ele se afasta da virtude.
     O interesse pessoal é o grande antagonista da virtude, então qualquer virtude que possamos desenvolver ainda precisará desenvolvê-la sem querer ser personalista. Para uma criança crescer com virtudes, o exemplo dos pais não são o suficiente, pois ela não vive apenas com os pais. Os pais estão incumbidos da educação de base, a educação doméstica, a formação emocional, que é a fundamental, mas o restante da família também tem muita responsabilidade sobre essa criança, a escola tem responsabilidade, a sociedade mais ampla também tem, como os veículos de comunicação tem muita responsabilidade nesse desenvolvimento das virtudes e dos valores éticos e morais.
     Muitas vezes os pais tentam passar para seus filhos valores, mas eles estão na mídia o dia inteiro e acabam assimilando melhor aquilo que a mídia passa. Pois enquanto os filhos ouvem os pais falarem, eles veem as coisas acontecendo na televisão. Por isso é muito importante os exemplos dos pais, não é só falar, tem que viver aquilo que é falado o tanto quanto consigam junto dos seus filhos, mas não podemos colocar só nos ombros dos pais, numa sociedade tão plural como a nossa, toda a responsabilidade pela formação do senso de virtude de uma criança.
Texto de Raul Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Muito Obrigada pela sua visita e comentário. Para mim é muito importante saber a sua opinião, afinal este cantinho é nosso !
Volte sempre!